28 de abr de 2011

20 - Produzindo Jaguara - Homenagem de fã

Toykobé!
Hoje vou comentar algo que a maioria deve saber. Quando trabalhamos em um projeto pessoal (aquele que geralmente não é o nosso principal trabalho remunerado) existem muitos desafios e dificuldades. Creio que seja assim com qualquer profissão. No caso de um projeto em quadrinhos, depois de todo o trabalho que temos em criar, pesquisar, produzir, conferir, corrigir, corrigir, melhorar, melhorar e melhorar o resultado final, ficamos também a mercê da sorte ou azar, caso nosso trabalho não seja aceito pelo principal propulsor do sucesso do projeto: o leitor!
Por mais que nos empenhemos em ouvi-lo, levar suas opiniões em conta e deixar o projeto o mais adequado possível para este público, no momento em que a Hq sai, ficamos na expectativa da aceitação final, que é quando o leitor se interessa e compra a nossa Hq. E não digo isso só pela parte financeira, que aliás, é importantíssima, mas pelo nosso ego mesmo, de se sentir vitorioso quando nosso trabalho é aceito e lido.
Como todos sabem, o primeiro livro da Jaguara demorou 10 anos para acontecer e quando finalmente virou realidade, algo vinha contra que era o preço de lançamento (R$ 46,00!), que infelizmente, afugentou prováveis leitores. Isso, de forma alguma foi desatenção ou ganância minha ou da própria editora que publicou a Jaguara. Acontece que o livro saiu com 128 páginas coloridas, com boa impressão e acabamento, mas com uma tiragem pequena (em torno de 1000 livros). E a matemática das gráficas é cruel, mas justa neste ponto: quanto menos se imprime, mais caro fica o preço final.
Mas não foi sobre isso que eu queria comentar hoje. Quero falar das compensações que todo esse trabalho e expectativa nos oferece, às vezes. Quando isso acontece, tenho certeza que tudo valeu à pena e que faria tudo de novo, se fosse preciso.
Vou postar uma sequência de fotos, de uma homenagem feita por leitores lá da Suiça, de uma cidade chamada Ticino. O que eles fizeram realmente me deixou muito feliz e emocionado na época. Vejam:











Esses estimados e valiosos leitores se chamam Simone, Tito e Alexander. Ele me deram a honra de comprar um exemplar da Jaguara, após lerem um editorial sobre ela na revista Mr. No, em agosto de 2005. Eles me disseram por email, que esta revista circulou na Suiça, Itália, França e Alemanha. Um deles foi casado com uma brasileira. Foi uma encomenda muito feliz e 2 anos depois, em 2007, eles me mandaram essas fotos, dizendo que tinham pintado a Jaguara na parede do quintal onde moravam. Não é preciso dizer que fiquei além de muito orgulhoso e honrado, muito emocionado. Isso realmente faz valer à pena todo o esforço. 
Minha intenção é, além de mostrar e dividir esta conquista, afirmar que todo empenho e trabalho duro vale e vale muito. Uma compensação dessas paga tudo e não estou exagerando.
Caros amigos de Ticino, Simone, Tito e Alexander, muito obrigado mesmo!
É isso!

Valeu!

18 de abr de 2011

19 - Produzindo Jaguara - Mais estudos do guerreiro macaco

Toykobé!
Hoje segue mais alguns estudos do guerreiro macaco, que na verdade é generalista, pois esse povo tem alguns milhares de integrantes. Estes seriam estudos da anatomia e proporção da maioria desses guerreiros.
Fiz alguns esboços do rosto em perfil, para estudar suas proporções e sua fisionomia geral.
A proposta é que eles sejam inteligentes e tenham sua própria cultura e hábitos próprios. Sua inteligência seria algo to tipo "bárbaro", sem dominar grandes tecnologias, a não ser a forja e manipulação de metal e ouro. Eles possuem táticas de guerrilha mais sofisticadas, aproveitando sempre seus dotes e capacidades físicas. Desta forma, poucas tribos no Jaguaretama teriam coragem de afrontá-los. Segue então alguns poucos estudos de sua fisionomia de perfil:


Como dá para perceber, além da fisionomia, fiz alguns esboços sobre um tipo de elmo de combate feito de algum dos metais no qual eles dominam sua fundição. As pontas seriam para causar danos e ferimentos aos adversários aproveitando um tipo de ataque peculiar onde eles utilizam a cabeça no golpe. E podem ter certeza, o dano desse golpe é grande.
Agora segue um estudo de corpo inteiro em posição anatômica, onde além do esboço à lápis faço um teste de cor. Ainda não sei se esta será a cor definitiva, tudo vai depender na hora em que eu estabelecer a paleta de cores das paisagens do Jaguaretama e contrastar com esta cor do guerreiro macaco. Vejam:



Nestes esboços nota-se com mais detalhes as garras inferiores, que tanto servem para sua locomoção no alto das árvores como para um poderoso ataque à inimigos. Sem contar sua cauda longa e musculosa com os mesmos propósitos. Realmente gosto desse personagem e espero torná-lo muito mais interessante no decorrer da história. O que posso adiantar é que esse poderoso povo foi encarregado de uma tarefa muito difícil, que só eles mesmos poderiam fazer em todo o Jaguaretama. Mas isso, a história contará.
Até a próxima!

Valeu!

13 de abr de 2011

18 - Produzindo Jaguara - Estudos de proporções entre personagens

Toikobé!
Conforme a história vai avançando, os personagens que vou criando vão tomando forma e vida, por assim dizer. Mas antes de sair escrevendo e desenhando, uma análise de proporções entre personagens é necessária. É o conhecido desenho "um do lado do outro", para estudarmos a relação física comparativa entre determinados personagens.
A Jaguara é das tribos dos Krenakores, conhecidos como índios gigantes e tem 1,95 m de altura. Sendo tão alta, é evidente que todo personagem que for interagir com ela tem de ser pensado em termos físicos.
O personagem que estou fazendo comparações desta vez é um guerreiro-macaco (nome provisório e genérico).
Ele é muito, muito ágil e forte, mas não chega à altura de nossa guerreira. Fiquei então imaginando sua altura e a defini em 1,80 m. Entretanto, fisicamente, ele é muito mais forte que a Jaguara, como podem concluir pelo esboço a seguir (ainda em grafite azul):


As características físicas de um personagem podem mostrar muito de seu comportamento a habilidades naturais. Notem a longa cauda do guerreiro-macaco com uma ponta preênsil, que serve para se locomover com rapidez e maior aderência nos galhos de árvores.
Seus pés, ou melhor patas inferiores, também tem este propósito e serve também como arma de ataque ou manuseio de objetos e ferramentas.
Certamente, os combates entre ambos serão interessantes e espero conseguir que sejam.
Mais pra frente, este desenho entrará para testes de colorização assim como os anteriores que postei recentemente.
Será mostrado em breve aqui.
Até a próxima!

Valeu!

1 de abr de 2011

17 - Produzindo Jaguara - Ikan no livro 2

Toykobé!
No livro 2 da Jaguara aparecerá com mais profundidade o personagem Ikan, que teve uma breve aparição de apresentação no livro Jaguara - Guerreira e Soberana.
Ele irá se transformar durantes as próximas histórias da Jaguara, em um dos principais personagens de seu universo.
Claro que não posso dar muitos detalhes sobre ele para não estragar surpresas, mas ele foi um dos melhores guerreiros de sua tribo e braço direito e chefe de guerra de Aguaratã, pai de Jaguara, quando era vivo.
Ele se refugiou e vive isolado... até agora!
Confiram um esboço atual de Ikan e em breve, postarei alguns testes de cores que também estou fazendo com ele...


Apesar de ser bem grande, Ikan é muito ágil e foi ele que treinou Jaguara pouco antes de assumir a liderança dos Krenakores após a morte de seu pai. Seu afastamento da tribo ainda é um mistério para todos os Krenakores, principalmente para Jaguara. Mas é exatamente sobre este mistério que a história de Ikan irá se fundamentar e ser esclarecido aos poucos...

Até a próxima!